Hamburgo, em um aspecto apenas, é — mais ou menos — como São Paulo. Não é a capital da Alemanha mas, terra natal de Jil Sander, Karl Lagerfeld, Joahnnes Brahms, é sua cidade mais rica, mais sofisticada. Com o status  de cidade-estado (uma das três da Alemanha, junto com Berlim e Bremen) e com apenas dois milhões de habitantes, Hamburgo é segura, organizada e cheia de água e de verde, é uma metrópole cosmopolita ideal para viajantes que buscam cultura, arquitetura, consumo e boa comida (já falei das cervejas e dos bolos?) num ritmo nada frenético, diferente de outras metrópoles europeias — e de São Paulo.

MELHOR ÉPOCA PARA VIAJAR
Muito próxima do oceano e com um rio enorme e vários lagos e canais, some a chuva e você verá que água é o que não falta em Hamburgo. Chove a qualquer hora, o ano todo (pode chover e abrir o Sol 45 vezes no mesmo dia). E água e vento demais simplesmente não combinam com frio, não dá vontade de sair do hotel. Por isso, para aproveitar ao máximo as paisagens, os lindos parques e a vida da cidade (incluindo tomar café ou cerveja sentado numa mesa ao ar livre), deixe sua viagem para junho ou setembro, quando a temperatura é agradável (entre 10º C e 21º C) e não é o auge das férias escolares de verão na Europa. Mas ainda assim tenha sempre um trench  e um guarda-chuva à mão.

TEMPO DE VOO
Não há voos diretos para Hamburgo do Brasil, que só tem um aeroporto e que recebe voos de todas as grandes companhias aéreas do mundo, até a low-cost  EasyJet (atenção, pois a Ryanair não chega em Hamburgo, mas sim em Lübeck, que está a uma hora de trem de Hamburgo). Mas todas as companhias aéreas europeias que operam por aqui fazem voo para o Aeroporto de Hamburgo (Fuhlsbüttel Hamburg Flughafen), que tem como sigla HAM, e que é super bem localizado. Assim, você pode comprar pela British, São Paulo — Londres — Hamburgo; pela Air France, São Paulo — Paris — Hamburgo; pela Lufthansa ou pela TAM, São Paulo — Frankfurt ou Munique — Hamburgo; ou até pela Turkish, com São Paulo — Istanbul — Hamburgo, sempre com a possibilidade de fazer escala (stop ) de alguns dias na cidade intermediária (até a Emirates tem voo direto Dubai — Hamburgo). O tempo de voo partindo de São Paulo ou Rio, com uma escala rápida, é de 15 horas. De Nova York em voo direto são 8 horas. De Paris, Londres e Milão, 1h30 de voo sem escalas. Assim como acontece com São Paulo e Rio, não há voos diretos de Tóquio. Com escala em Paris ou Amsterdam, o tempo de viagem Tóquio — Hamburgo é de aproximadamente 20 horas.

E POR QUE NÃO TREM?
Hamburgo tem uma ótima, bem conectada e central estação de trem, a Hauptbahnhof, mas só viaje de trem — ou de ônibus — se estiver vindo de alguma outra cidade alemã. De Paris, por exemplo, a 750 quilômetros (que nem é tão longe), mesmo usando o TGV, o tempo de viagem é de 9, 10 horas, com uma ou duas trocas de trem. Como o aeroporto de Hamburgo, na região norte da cidade, também é bem localizado e tem uma estação de trem urbano, do S-Bahn, dentro do próprio aeroporto, que te leva pela linha S1 para o HauptBahnhof em apenas 25 minutos, prefira o avião como meio de se chegar lá. (Até de Amsterdam, a 365 quilômetros, a viagem de trem pode durar até nove horas.) De Paris, do Charles de Gaule ao seu hotel em Hamburgo, você vai levar, no máximo, quatro horas viajando de avião, incluindo o tempo no aeroporto, o voo, a retirada das bagagens e o seu trajeto de táxi ou trem, sem precisar carregar malas e fazer conexão.

CHEGANDO LÁ
As primeiras coisas que você deve fazer pisando no aeroporto de Hamburgo é 1. comprar o seu chip  de telefone para usar o 3G (eu sempre compro na Klockman, uma loja de malas no andar de desembarque, no Terminal 1; eles já colocam o chip  e você já sai com o telefone funcionando — não se esqueça de ter o sistema operacional do seu iPhone atualizadíssimo na última versão para não ter problemas) e 2. comprar o seu Hamburg Card, um cartão que te dá acesso por um (1-day-Tageskarte ) até 5 dias a todos os meios de transporte da cidade: ônibus (comuns e rápidos, o schnellbus), metrô (U-Bahn ), trem urbano (S-Bahn ), bonde (Straßenbahn ) e as balsas, que podem te levar, pelas águas do Rio Elbe, à Blankenese, ou apenas te levar para a outra margem do rio. O Hamburg Card também dá descontos de até 50% em várias atrações da cidade (museus, restaurantes e até musicais).

O Hamburg Card para uma pessoa (Einzelkarte ) custa € 9,50 (R$ 35) para um dia e para grupos (Gruppenkarte, para até cinco pessoas de qualquer idade), € 16,50 (R$ 60), o que é uma pechincha. O cartão para cinco dias individual custa € 40,50 (R$ 150) e € 69,50 (R$ 250) euros para grupos. Até para duas pessoas apenas compensa. Numa cidade em que o transporte público funciona, é incrível passar todo o seu tempo na cidade SÓ usando o transporte público — e bikes! —, deixando o táxi ou motorista apenas para quando você estiver cansado de andar ou com muitas sacolas e bagagens. É uma lição de civilização. Você consegue comprar o Hamburg Card online  ou no balcão de informações do aeroporto (Airport Office, entre os terminais 1 e 2).

Tanto de trem quanto de táxi, você vai gastar 25 minutos para sair do aeroporto e chegar ao centro da cidade (para o táxi, reserve de € 30 a € 35 (R$ 135); de gorjeta para o taxista, basta arredondar o valor para o próximo euro). E se você for daqueles que preferem agendar motoristas com medo de táxis feios e velhos, não se preocupe. Em Hamburgo, os táxis são todos Mercedes e Audi em modelos novíssimos. Só a cor — creme — não colabora em nada com a beleza e a tecnologia dos carros.

SEGURANÇA
Hamburgo é uma cidade em que se sente relativamente seguro. Os únicos momentos mais tensos acontecem quando você está caminhando pela Reeperbahn ou na região do Hauptbanhhof, à noite, e vê gente bêbada (na Alemanha, as pessoas podem beber à vontade na rua), brigas e grupos de homens que parecem violentos skinheads. Mas geralmente, sempre tem polícia por perto. No mais, sinta-se livre por explorar a cidade, dia e noite, atento apenas aos batedores de carteira, que podem estar nas regiões mais turísticas, principalmente à noite e na madrugada. Ah, não é recomendável que mulheres sozinhas fiquem passeando à noite pela Reeperbahn. Na Alemanha, a prostituição é legalizada, as meninas costumam ficar na Davidstrasse e nas vitrines da Herbertstrasse (aqui a rua é fechada e é terminantemente proibida a entrada de menores e mulheres), e mulheres desacompanhadas podem ser hostilizadas pelas meninas.

PARA OS GADGETS
Voltagem: 220-240 V
Formato da tomada:
plug-alemanha

 

 

 

 

 

 

USANDO O TELEFONE
Código telefônico da Alemanha 49
Código telefônico de Hamburgo (0)40
Código telefônico para celulares em Hamburgo (0)172 ou (0)176

Para ligar do Brasil para um telefone fixo em Hamburgo, é só discar:
00 + [código da operadora telefônica] + 49 + 40 + número do telefone
No Skype, comece a partir do +49.

Para ligar do Brasil para um telefone celular em Hamburgo:
00 + [código da operadora telefônica] + 49 + 172 ou 176 + número do celular que pode ter sete ou oito números

Para ligar de outra cidade da Alemanha para Hamburgo:
040 + número do telefone. Se for celular, digite 0172 ou 0176 + número do celular.

Para ligar de Hamburgo para um telefone fixo em Hamburgo:
É só discar o número, sem o código 040.

Para ligar de Hamburgo para um telefone celular de Hamburgo:
0172 ou 0176 + número do celular que pode ter sete ou oito números

SITE DA CIDADE
www.hamburg-travel.com

E CONFIRA O NOSSO GUIA COMPLETO DE HAMBURGO:
Hamburgo: os 15 passeios essenciais
Hamburgo, uma introdução
Hamburgo: Hospedagem
Hamburgo: Hotel 25hours HafenCity
Passeio imperdível: Miniatur Wunderland