O Noguchi Museum é uma das pérolas de Nova York. Fundado em 1985, em Long Island, Queens (a localização não é central e tem de ir de carro ou táxi), para celebrar a vida e a obra de um dos artistas mais produtivos e influentes do século 20, o espaço é perfeito para fugir da agitação de Manhattan (onde várias de suas obras ocupam alguns dos mais importantes prédios comerciais da ilha) e contemplar esculturas, móveis e objetos, além de um jardim pequeno, tranquilo, mas impecável (que é a minha ideia de paraíso).

O escultor e designer  nipo-americano, que passou sua infância e adolescência viajando e aprendendo seu ofício pelo mundo (entre França, Itália e Japão, se estabelecendo em Nova York), trabalhou com outros grandes artistas de sua época, entre escultores, arquitetos e coreógrafos, onde elaborava o que chamava de ‘escultura do espaço’.

Além das diversas parcerias com outros profissionais (desenhou cenários e palcos para os espetáculos de dança de Martha Graham e George Balanchine), a variedade de materiais que utilizava para concretizar suas idéias também mostrava sua versatilidade: pedras de diferentes tipos e tamanhos, metais, papéis, madeiras e até conceitos mais subjetivos como água, som e luz fizeram parte de seu vasto repertório.

E como um bom design  independe do tempo e do espaço, muitas de suas peças “utilitárias”, como luminárias e móveis, continuam a ser fabricados até os dias de hoje, decorando espaços contemporâneos e sofisticados.

[nggallery id=5]