Saint-Barth: A ilha branca e bilionária do Caribe, onde a principal atividade econômica não é o turismo

Três horas e meia de voo e apenas uma hora de diferença de fuso horário separam o rigoroso inverno nova-iorquino de fevereiro do verão-o-ano-todo de Saint-Barthélémy, essa ilhota de vegetação árida — e de praias menos bonitas que as das ilhas vizinhas, preciso dizer —, que se transformou no porto seguro de algumas das pessoas mais ricas e famosas do mundo (seguidas, claro, dos alpinistas sociais). Aqui, onde o turismo de massa não tem vez; nem as grandes redes de hotéis de luxo estão aqui. São Bartolomeu — assim como...