Os filmes noir de Hollywood das décadas de 1940 e 1950 reinventaram a posição da mulher e da moda feminina na cultura popular. Em 1947, dois anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, Christian Dior, faria uma ode à feminilidade com o seu New Look (nome dado pela redatora-chefe da Harper’s Bazaar norte-americana, Carmel Snow), dando poder às mulheres sobre os homens (mesmo que fosse apenas um statement fashionista). No cinema, femmes fatales como Rita Hayworth, Barbara Stanwyck e Jane Greer usavam roupas reveladoras e joias com o intuito de provocar e seduzir homens passíveis de serem dominados. A lingerie se tornaria mais complexa e interessante, aumentando a temperatura para quando chegasse a hora de se despir. E é nesse contexto que surgiu a Exotique, revista publicada entre 1951 e 1957, por Leonard Burtman, cientista que trabalhou para o governo norte-americano nos anos 1940 que, tornando-se estéril por causa da radiação durantes os testes da bomba atômica, pediu demissão de seu cargo e passou a se dedicar à fotografia e à publicação, numa seara bastante particular, dedicada inteiramente à exploração de suas fantasias sexuais.

Nos 36 números da revista no formato digest (revista pequena, tamanho de gibi) e de tiragem limitada, mulheres poderosas à la dominatrix, pin-ups como Bettie Page, eram fotografadas meticulosamente em roupas fetichistas: saltos altíssimos (com alguns o caminhar era impossível), luvas longas de couro, meias-calças com ligas, espartilhos absurdamente justos. Depois de selecionar as peças e a modelo que seria fotografada, Burtman passava horas estudando as tecnicidades das roupas e dos sapatos e decidindo as poses da modelo. Era crucial que elas parecessem fortes e poderosas.

A Exotique nunca teve nu, conteúdo pornográfico ou mesmo situações que sugerissem práticas sexuais. Mesmo assim, Leonard Burtman seria considerado um pornógrafo e perseguido pelo serviço postal norte-americano (todas as revistas e fotos que fugissem das normas morais da época só eram entregues pelos correios), teve suas revistas e materiais confiscados e foi para a corte e preso. Assim, acabaria a Exotique em 1957. Mas, Burtman não pararia por aí. Nas décadas de 1960 e 1970 lançaria outros títulos com a mesma temática como New Exotique, Masque, Bizarre Life, High Heel, Corporal (uma revista pioneira em spanking).
revista-exotique-1000-1
revista-exotique-1000-2