Sem sombra de dúvida, é o mestre par excellence  das sobremesas. Pierre Hermé começou aprendendo a arte de seu métier  com outro mestre dos doces, Gaston Lenôtre, com apenas 14 anos de idade, e aos 20, já era chef-pâtissier  da Fauchon. Aos 31, participou da expansão parisiense do La Durée enquanto ganhava prêmios e publicava livros (já são dez livros lançado sobre o tema, incluindo a bíblia Larousse des Desserts, assinado por Hermé).

O currículo é primoroso, mas não é só. Mesmo aqueles que não conhecem seu passado sentem estar diante de algo divino e inovador ao saborear uma de suas criações. Hermé só tem duas lojas flagships com todas suas criações em Paris, uma em Saint Germain-des-Prèsoutra em Montparnasse, ambas do lado esquerdo do Sena. Os outros nove pontos de venda que só vendem  macarons  e chocolates.

Nas duas lojas, seus inúmeros produtos (chocolates — em barra, em quadradinhos, em bombons e até em forma de máscaras africanas —, chás, macarons, doces, sorvetes e viennoiseries) são expostos de maneira impecável. Além da qualidade e do resultado indiscutíveis do chef, duas são as características principais em seu trabalho: o jogo de texturas e a brincadeira com os sabores.

No quesito texturas, é comum sentir uma base mais sólida e um bolo bem macio mergulhada em um creme quase líquido como na deliciosa Tarte Infiniment Café. Já no quesito sabores (principalmente, exóticos), só aqui você poderá se surpreender com um macaron  de trufas brancas (que parece que você está comendo o tartufo di Alba; apenas disponível na temporada), de aceto balsamico di Modena (detalhe: o envelhecido 25 anos) ou ainda um de marron glacé  com chá verde matcha  e um de caramelo com grãos de fleur de sel (sal não-refinado colhido manualmente).

E dois são os clássicos PH: o Ispahan, com macaron  de rosas, creme de pétalas de rosa, framboesas inteiras e lichias (só disponível quando as framboesas estão frescas), que pode ser apreciado nos formatos torta, bolo, bombom de chololate, chá, sorvete, geleia, nougat etc.) e o Dois Mil Folhas, uma receita patenteada pelo chef, que é imperdível. O único problema ao chegar à loja de Pierre Hermé é saber por onde começar…

Como não tem onde se sentar, compre seus doces à emporter e vá direto procurar um banco livre na Place Saint Sulpice (a 30 metros da loja da Rue Bonaparte), sentar e comer os doces apreciando a vista das belas fonte e igreja.