Chegar ao Nizuc Resort & Spa é fácil, e ficaria ainda mais fácil se voltassem os voos diretos de São Paulo e Rio para Cancún CUN. Bastaria um voo de oito horas, imagina. Enquanto isso, a melhor opção é com a Aeromexico, também em voo diurno com destino à Cidade do México MEX, nos confortáveis Boeing 787 Dreamliner, com bom tempo de conexão. Você chega ao Nizuc por volta das 23h.

Apesar de vizinho do Aeroporto Internacional de Cancún — são apenas 15 minutos de carro em avenidas bem cuidadas — e ocupando a ponta sul da famigerada Zona Hotelera (com seus mais de 140 resorts-restaurantes-baladas-um-atrás-do-outro-sem-nada-mais), o Nizuc, um resort nothing-inclusive aberto em 2013 (saiba todos os preços mais abaixo), oferece um nível de elegância e gastronomia muito superiores às propriedades vizinhas; e ainda possui um dos mais lindos, completos — e caros — spas a que já fui, com 3.000 metros quadrados (mas confesso que é frustrante ser hóspede, chegar para fazer sauna depois do treino e descobrir que, para usar as instalações do spa, é preciso pagar US$ 131 pelo day-pass ou US$ 253 por uma massagem de 50 minutos, a mais em conta, que inclui o uso da sauna). Veja na galeria de fotos comentadas ao final da matéria. 

Entre uma extensa zona de lagos e manguezais (mangle ou manglar, em espanhol) e as águas salgadas que formam a divisa entre o Mar do Caribe e o Golfo do México, a praia do Nizuc Resort não é tão linda quanto a da costa leste e turquesa da Cancún turística (cujos hotéis não fazem nosso estilo). A água é escura por conta do vasto sargaço e, por isso, andar na água dá um pouco de aflição pela quantidade de algas. Mas a praia é bem tranquila e rasa, com areia branca e fininha; perfeita para famílias e a prática de stand-up paddle.

AS ATRAÇÕES DA PENÍNSULA DO YUCATÁN

Tulum foi um dos mais importantes portos dos 25 reinos maias que existiam na Península de Yucatán até a chegada dos espanhóis no século 16. Imagem: Shoichi Iwashita

O hotel também está distante das ruínas e cenotes — as milhares de piscinas naturais de água doce e puríssima conectadas por rios subterrâneos, alguns, cenários maravilhosos — que formam as principais atrações da Península do Yucatán, essa região ocupada pelo povo maia que, apesar dos sanguinários astecas e espanhóis que redefiniram a história da região entre os séculos 14 e 19, aqui resistem há quase 4.000 anos, com todas as suas tradições (definitivamente uma das regiões mais interessantes do México).

As impressionantes ruínas sobre o mar de Tulum (foto acima) estão a 1h30 de carro; as imponentes Chichen Itzá e Ek Balam, a 2h30; e Uxmal, a quatro horas. Assim, se você é daqueles que se recusam a viajar para só ficar dentro do hotel, vai precisar de um carro para passar o dia explorando as ruínas, as praias e os cenotes; ou organizar com o concierge empresas que façam os passeios.

Mas só depois do excelente café da manhã do hotel, com uma viciante estação de quesadillas, sem deixar de lado as tradições (com espumante e bem executadas viennoiseries) e as necessidades contemporâneas dos viajantes preocupados com a saúde (com suco verde, muitas frutas e sementes, avocado e omelete de claras). Tem para todos.

AMPLOS ESPAÇOS NO NIZUC RESORT

Chegando à recepção do Nizuc Resort & Spa. Imagem: Shoichi Iwashita

Na ambientação do terreno gigantesco (a circulação não é um problema, no entanto; apesar de não haver bicicletas disponíveis para os hóspedes, sempre tem um carrinho passando ou alguém para chamar um, que chega rapidinho), a rusticidade típica dos maias dá lugar à imponência contemporânea extra-extra-large ao gosto norte-americano. Todas as áreas e restaurantes do hotel, incluindo as 274 villas e quartos (todos com terraços), são enormes (o menor quarto tem 75 metros quadrados), com um pé-direito altíssimo para os padrões da hotelaria internacional e todos os confortos de um hotel cinco estrelas.

GASTRONOMIA: OUTRO PONTO ALTO DE DESTAQUE DO NIZUC

A gastronomia (junto com o spa) é o ponto alto do Nizuc, que tem seis restaurantes com especialidades diferentes; e cada chef é nativo do país cuja cozinha ele representa. Assim, não perca os restaurantes de comida latina, onde eu fui mais feliz: o Ni, excelente restaurante peruano com deliciosos ceviches à beira da praia para famílias, e o Ramona, o restaurante gastronômico do complexo, que aplica técnica sofisticada aos sabores tradicionais mexicanos com releituras de receitas regionais usando ingredientes locais.

Já no Indochine, de influências asiáticas, vá pelos pratos quentes (um bom shari de sushi é algo que não se consegue nesses restaurantes temáticos), e no Terra Nostra, pelo delicioso brunch aos domingos à beira de uma piscina que dá para o manguezal (e, sim, apesar de os frequentadores estarem bem-vestidos — o brunch é aberto para não-hóspedes — dá para dar um mergulho na piscina; não se intimide).

À noite, não deixe de curtir o conjunto de sofás do bar Havana Lounge rodeado pelas águas do belíssimo paisagismo do hotel, aproveitando drinques, charutos e música latina ao vivo, ou fazer uma degustação de tequilas no Bar-A-Kan, o bar de frente para o mar. É aqui que você vai se surpreender ao aprender a tomar uma tequila añejo (envelhecida de um a três anos) com o suquinho de uma rodela de laranja e canela na boca.

Se as praias do hotel não chamam muito a atenção, as piscinas — todas de pedra escura, sendo uma enorme — são belíssimas, deliciosas para nadar (leve seus óculos de natação), e contam com ótimo serviço de bar com bebidas e comidinhas perfeitas para passar o dia lendo ou proseando.

QUANTO CUSTA UMA ESTADIA NO NIZUC RESORT?

E aí, tem a questão de o Nizuc ser um resort em que nada está incluso no valor da estadia — nem o café da manhã, a não ser que seja um promoção — e o fato de eles seguirem o modelo las veguiano de cobrar um resort fee obrigatório, além dos impostos e das diárias (e lembre-se: o uso das instalações do spa tampouco estão inclusos).

Assim, para três-noites-quatro-dias no quarto Ocean View Deluxe, de 78 metros quadrados, para duas pessoas, curtindo tudo o que o hotel tem a oferecer, calcule a partir de R$ 20.250*, para reservar com cancelamento até 14 dias antes da data da chegada (se o cancelamento for mais em cima, fica mais caro), sendo:
1. Quarto: US$ 697 por noite x 3 noites = R$ 8.987,62*
2. Imposto municipal de 3%: US$ 20,91 x 3 noites = R$ 266,92
3. Resort fee de 10% sobre a diária: US$ 69,70 x 3 noites = R$ 889,76
4. IVA, imposto federal de 16%: US$ 111,52 x 3 noites = R$ 1.423,62
5. Taxa de meio ambiente: US$ 1,50 x 3 noites = R$ 19,15
6. Café da manhã: US$ 42 x 2 pessoas x 3 dias = R$ 1.072,31
7. Day-pass spa: US$ 131 x 2 pessoas x 3 dias = R$ 3.344,59
8. Para as cinco refeições ao longo de quatro dias (além do café do manhã), calcule uma média de R$ 425 por pessoa, por refeição (já com impostos e 15% de serviço), sem bebidas: R$ 4.250

Se você estiver com carro, o estacionamento é gratuito.

*Foram considerados o IOF de 6,38% sobre transações internacionais no cartão de crédito e uma taxa de câmbio de R$ 4. 

RESERVAS:

{Faça a sua reserva para o Nizuc Resort & Spa, clicando aqui}

LEIA TAMBÉM:

— The Brando, Taiti e suas ilhas: Sem bangalôs sobre águas e piscinas infinitas, um dos melhores e mais caros hotéis do mundo é zero-ostentação

&Beyond Vira Vira, Chile: Rodeado de lagos glaciais, vulcões ativos e florestas com araucárias milenares, um hotel totalmente sustentável e gastronomia excelente

Fasano Belo Horizonte: Com Gero e Baretto “importados” de São Paulo, finalmente um bom hotel na capital das Minas Gerais

Visão dos edifícios principais do Nizuc Resort & Spa saindo da piscina exclusiva para adultos. Imagem: Shoichi Iwashita

A enorme piscina para famílias com vista para o mar. Imagem: Shoichi Iwashita

O edifício principal conta com quatro restaurantes, dois bares e também quartos, as Ocean Suites. Imagem: Shoichi Iwashita

O píer do hotel. Imagem: Shoichi Iwashita

No amplo lobby com pé-direito altíssimo, grandes janelas de madeira dão para o jardim de águas. A iluminação noturna dos jardins muda completamente a atmosfera do hotel. Imagem: Shoichi Iwashita

Me hospedei em uma Ocean View Junior Suite, que tem uma piscininha no terraço, mesmo eu estando no terceiro andar dos prédios que são acessíveis pelos carrinhos elétricos do hotel. Imagem: Shoichi Iwashita

A Ocean View Junior Suite tem 121 metros quadrados e pé direito bem alto. Muito espaço. Imagem: Shoichi Iwashita

Mais um ângulo do quarto. Imagem: Shoichi Iwashita

Detalhe da cabeceira da cama, que abriga do outro lado a mesa de trabalho em toda a extensão. O quadradinho preto é uma luz de leitura, basta rodar para que ela acenda. Imagem: Shoichi Iwashita

O banheiro é bem espaçoso mas, infelizmente, não tem luz natural. A porta de treliça espelhada ao meio se abre, o que faz com que se tenha uma vista para o quarto e para o terraço a partir da banheira. Imagem: Shoichi Iwashita

De um lado da banheira, a ducha, do outro, o sanitário. E os guarda-roupas ficam dentro do banheiro, em ambos os lados. Imagem: Shoichi Iwashita

O café da manhã é servido no Café de la Playa, no prédio principal no Nizuc. Imagem: Shoichi Iwashita

Uma das salas do Café de la Playa. Imagem: Shoichi Iwashita

Além da estação de quesadillas preparadas na hora, ótimos pães e viennoiseries. Imagem: Shoichi Iwashita

Quesadillas e suco verde de café da manhã todos os dias. Imagem: Shoichi Iwashita

A praia privativa do Nizuc Resort, com mar bem tranquilo e águas não tão claras. Imagem: Shoichi Iwashita

Às sextas-feiras, o próprio chef do Ni toma os pedidos dos clientes com os peixes fresquíssimos que chegam ao hotel. Imagem: Shoichi Iwashita

Os peixes da barraca montada na praia para a escolha dos hóspedes. Imagem: Shoichi Iwashita

A área de hidroterapia do spa do Nizuc é algo fantástico. Enorme, lindo e cheio de luz natural. Tem banho de água fria, sauna seca, sauna a vapor, duchas, áreas de descanso, amplos vestiários. E como não é uma área mista, dá para aproveitar tudo pelado. Imagem: Shoichi Iwashita

Uma das áreas de descanso com chaises aquecidas. E, durante um tratamento, você ainda recebe uma massagem no couro cabeludo enquanto descansa. Imagem: Shoichi Iwashita

Na área externa onde ficam as salas de tratamento, cada sala é uma casinha. Na piscina do spa, jatos de água para massagear os músculos. Imagem: Shoichi Iwashita

A entrada do Ramona, o restaurante gastronômico do Nizuc, de comida mexicana. Imagem: Shoichi Iwashita

Uma das salas do restaurante. Imagem: Shoichi Iwashita

Robalo com “escamas” de amêndoas, purê de couve-flor assada, salada de alluvias (feijões brancos) e emulsão de chaya (uma erva local que se parece com o espinafre). Belíssimo jantar. Imagem: Shoichi Iwashita

Uma das sobremesas é a releitura das crepas tostadas, um doce simples vendido nos mercados e parques de diversão, aqui recheado com queijo cremoso Edam, sorvete de goiaba e doce de leite.

A excelente academia tem até Smith, e como em tudo no Nizuc, é bem ampla. Image: Shoichi Iwashita

Além da sala com aparelhos para aeróbio, no andar superior tem a sala para yoga, com aulas diárias. Imagem: Shoichi Iwashita

O ambiente do Terra Nostra, o restaurante mediterrâneo do resort. O único que deixou a desejar. Imagem: Shoichi Iwashita

Apesar de as massas serem feitas aqui e até a farinha da pizza ser italiana, as texturas não estavam nos seus pontos. Imagem: Shoichi Iwashita

Mas é no Terra Nostra onde acontecem os deliciosos brunches dominicais, abertos também para não hóspedes, com essa bela piscina com vista para o manguezal. Imagem: Shoichi Iwashita

Comidinhas do La Punta Grill & Lounge, na área da piscina exclusiva para adultos, em apresentação impecável. Imagem: Shoichi Iwashita

Para os casais, o Nizuc tem esse deck, isolado e com vista para o mar, onde você pode reservar um jantar para dois no pôr do sol. Repare no topo da foto o lustre que fica pendurado em uma árvore 🙂 Imagem: Shoichi Iwashita

Arte-Banner-Instagram-Divulgacao-10