A Simonde foi convidada para assistir a um espetáculo que faz parte de uma interessantíssima programação promovida pela Embaixada da Austrália e a dois filmes que estrearam em circuito bem reduzido na última quinta-feira, dia 19. Experiências diferentes mas cheias de estética que se transformaram em nossas dicas para este fim de semana na cidade.

TWENTY SIXTEEN, circo contemporâneo cheio de poesia e humor

Twenty-Sixteen-Circus-OzEm sua primeiríssima edição no Brasil, é uma pena que o festival Australia Now, que está com uma programação incrível — de performances  aborígenes a espetáculos de dança e teatro, com o melhor da cultura australiana — não seja uma programação anual. O festival já passou pela Índia, Vietnã e Turquia, e nos próximos anos, são as vezes do Japão e da Alemanha. E a dica para este fim de semana é o espetáculo Twenty Sixteen (ou seja, 2016), da companhia de circo contemporâneo — sem animais! — de Melbourne, Circus Oz, que fica em cartaz no Sesc Vila Mariana até domingo, dia 22 de maio. Misturando números acrobáticos muito criativos com humor, poesia, trilha sonora impecável — ao vivo — e figurinos inusitados, é daqueles programas para todas as idades e que fazem com que você saia leve e feliz depois do espetáculo. E já aviso para quem for assistir: quando você achar que o que eles estão fazendo já está MUITO difícil, eles vão fazer as coisas ficarem ainda pior! :- ) Twenty Sixteen, do Circus Oz, em cartaz no Sesc Vila Mariana, que fica na Rua Pelotas, 141. Sexta-feira, dia 20, às 21h; sábado, dia 21, às 21h; e domingo, dia 22, às 12h e às 18h.

SÃO PAULO EM HI-FI, a pauliceia cheia de glamour dos anos 1970 e 1980

Sao-Paulo-Em-Hi-Fi-Lufe-SteffenA cidade de São Paulo tem a maior população LGBT da América do Sul. E os shows  de travestis em transformistas em boates cujos garçons usavam luvas atraíam muita gente famosa e alta sociedade paulistana na década de 1970. E é essa história de glamour  com o capítulo triste da chegada da AIDS nos anos 1980 que conta São Paulo em Hi-Fi, documentário do diretor Lufe Steffen. Com muitas cenas de shows  e entrevistas com pessoas importantes da cena cultural da época, o filme é IMPERDÍVEL para todos os gays, de todas as idades, e um interessante recorte da cidade de tempos que não voltam mais. Confira a nossa matéria exclusiva sobre filme, clicando aqui. O filme São Paulo em Hi-Fi está em cartaz no Cinesesc, que fica na Rua Augusta, 2075, e será exibido na sexta, dia 20, às 14h, às 16, às 19h30 e às 21h30; no sábado, dia 21, às 14h e às 16h; no domingo, dia 22, às 19h30 e às 21h30; e de segunda, dia 23, a quarta, dia 25, às 14h, às 16h, às 19h30 e às 21h30.

GRUPO SANTA HELENA, Bonadei, Volpi, Rebolo juntos mais uma vez

rebolo-2Formado de maneira espontânea nos anos 1930 nos ateliers  dos artistas Francisco Rebolo e Mario Zanini no Palacete Santa Helena, na Praça da Sé (o edifício foi demolido quando da construção da estação do metrô), o Grupo Santa Helena se transformou no celeiro de alguns dos mais importantes artistas plásticos brasileiros do século 20. E a Proarte — que está mudando um pouco o foco das atividades, de casa de leilões e galeria para um híbrido de galeria e museu, já que grande parte das obras não está à venda — reúne em seu espaço na Gabriel Monteiro da Silva, muitas — e lindas — obras de Aldo Bonadei, Alfredo Volpi, Clóvis Graciano, Francisco Rebolo, Fulvio Pennacchi, Manoel Martins e Mário Zanini. A exposição fica aberta ao público até o dia 10 de junho de 2016, na Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 1644, de segunda a sexta, das 10h às 19h e sábados, das 10h às 16h. E é grátis. Na foto, Natureza Morta, óleo sobre madeira de Francisco Rebolo. Imagem: Reprodução.

ESPAÇO ALÉM, Marina explora espiritualidade do jeitinho brasileiro

Uma das precursoras da performance art, a artista sérvia — parte da ex-Iugoslávia — Marina Abramović, tem como foco atual de seu trabalho a discussão sobre o tempo e a espiritualidade (mas ela continua ainda testando os limites de seu corpo e mente em suas obras). Nessa busca, não haveria melhor país-laboratório que o Brasil e os rituais de tantas religiões, seitas e grupos esotéricos (ela começou a vir para cá em busca de pedras para suas obras nos anos 1970). Filmado no Brasil entre 2012 e 2015 — quando de sua exposição Terra Comunal, no Sesc Pompeia —, o documentário Espaço Além – Marina Abramović no Brasil, de Marco del Fiol, mostra a artista com o médium João de Deus, tomando chá de ayahuasca  e participando de rituais que vão do candomblé a processos xamânicos em Curitiba dos quais eu nunca tinha ouvido falar. Marina está completamente exposta no filme, tanto física como emocionalmente, e é uma interessante viagem por esse nosso país de tradições tão sincréticas. Confira nossa matéria exclusiva sobre Marina Abramovic, clicando aqui. O filme está Espaço Além está em cartaz no Cinemark do Shopping Iguatemi, no Espaço Itaú de Cinema (Frei Caneca e Pompeia) e no Reserva Cultural. Estreou em 19 de maio de 2016.