É impressionante a capacidade dos nova-iorquinos de transformarem lugares degradados em hype. E o Meatpacking District – junto com o Brooklyn – foram os últimos bairros revitalizados no melhor sentido possível. Além de todas as lojas sofisticadas (Jeffrey, Vitra, Lars Bolander), os restaurantes (Pastis, Spice Market) e hotéis modernosos (Gansevoort, The Standard – a High Line passa por debaixo do Standard, bem legal -, Soho House), o Meatpacking também tem um jardim suspenso de quase 2 km de comprimento, que ocupa uma antiga e abandonada trilha suspensa de trem (como a Promenade Plantée, em Paris) construída na década de 1930 para evitar os acidentes dos trens nas ruas de Manhattan e que funcionou até 1980. No West Side (sudoeste) da ilha de Manhattan, a High Line começa na Gansevoort e vai até a rua 30 (já no Chelsea), com projetos de expansão para chegar até a 34. Decks para sentar, deitar, andar, grama para tomar sol, jardins naturalistas e a vista de camarote do bairro fazem parte do passeio. Se começar pelo Meatpacking vá, pelo menos, até a 23rd Street  e já desça para fazer o circuito das galerias de arte em Chelsea.

Mas, diferentemente da Promenade Plantée, o mais interessante deste parque construído sobre uma trilha de trem numa cidade em que a atividade física é uma obsessão é que, no High Line, não se pode correr, andar de skate ou patins, jogar futebol ou basquete (no balls!), ou mesmo passear com seu cachorro ou fumar ou beber álcool. Ele foi projetado para não se fazer nada. Você pode andar, sentar ou deitar, that’s ALL. Essa é a grande diferença cultural entre franceses e americanos que torna a França sempre um pouco mais divertida que os Estados Unidos.

[nggallery id=38]