Vista dos bangâlos para a Baía do Sueste, na costa sul da ilha de Fernando de Noronha. No NANNAI Noronha Solar dos Ventos, que abre no dia 1 de dezembro de 2020, todos os oito bangalôs e os dois apartamentos têm vista para o mar. Imagem: Divulgação.

Fazer trilhas que levam para paisagens de tirar o fôlego e nadar em águas transparentes com tartarugas, polvos, tubarões, golfinhos e peixes de todas as cores em um dos mais importantes santuários ecológicos do mundo. Surfar ondas de cinco metros neste que é considerado o paraíso brasileiro do esporte e visitar ruínas seculares da primeira capitania hereditária do Brasil, anexada à Pernambuco em 1700. Essas são algumas das experiências que o viajante encontra em Fernando de Noronha, o pequeno arquipélago a 345 quilômetros da costa brasileira que está a apenas uma hora de voo a partir de Recife ou Natal.

Assim como em outros destinos de praia no Brasil, as melhores opções de hospedagem em Fernando de Noronha ficam por conta de pousadas de charme (nenhuma à beira-mar, no entanto) que se mantêm fiéis à identidade do destino. Por isso, a abertura do NANNAI Noronha Solar dos Ventos em 1 de dezembro de 2020 — quando a ilha tem o clima mais favorável, já que a temporada seca vai de dezembro a março — nos faz sonhar (ainda mais por que as reservas já estão abertas)…

HORTA E POMAR ORGÂNICOS, PEIXES PESCADOS PELA COMUNIDADE LOCAL

Amplas áreas para poucos hóspedes e muita ventilação natural garantem a segurança de todos. Imagem: Divulgação

Sonhar não só com os bangalôs, a piscina de borda infinita e a vista irrestrita para a Baía do Sueste, na costa sul da ilha, conhecida como “mar de fora”, mas também com a horta e o pomar orgânicos da propriedade que vão suprir parte das necessidades da cozinha da pousada com ingredientes frescos, sazonais e livres de agrotóxicos. Soma-se a isso os peixes locais de pesca artesanal com o cardápio de sobremesas inspirado em Assucar, livro escrito em 1939 por Gilberto Freyre, autor de Casa-Grande & Senzala (pense em delícias como a cartola, o beijo caboclo, as mil folhas de caju), o que mais a gente poderia esperar comer em um destino de natureza como Fernando de Noronha?

A preocupação com a sustentabilidade não para aí. O NANNAI Noronha Solar dos Ventos conta com um sistema de captação e reaproveitamento das águas da chuva (não existem nascentes de água doce na ilha), tem placas fotovoltaicas e um aerogerador que aproveitam a luz solar e o vento para produzir energia elétrica, e ainda tem uma estação própria de tratamento de água, garantindo que impacto ambiental da sua viagem seja o menor possível.

MUITO CONFORTO E VISTA PARA O MAR PARA TODOS

Diferentes perspectivas do projeto do bangalô Master, com 75 metros quadrados, onde dormem até quatro pessoas. Imagem: Divulgação

Outro destaque da pousada é que todos os oito bangalôs e os dois apartamentos oferecem vista para o mar e bastante espaço. Os dois bangalôs Master, por exemplo, tem 75 metros quadrados e contam com chuveiro ao ar livre, cama tamanho super king, adega e uma ampla varanda com vista para as ilhas do Chapéu e Cabeluda, incrustadas nas águas de vários tons de azul da Baía do Sueste. Varandas que incluem não só chaises, mesas e day beds como, também, redes em trama suspensas, ao ar livre. Os quatro bangalôs Frente Mar e os dois bangalôs Vista Mar possuem 56 metros quadrados e, assim como os Master, abrigam até quatro pessoas. Já os apartamentos têm 30 metros quadrados e comportam duas pessoas.

A 400 METROS DA PRAIA DO SUESTE

Na área social estão a recepção, o restaurante, os terraços e s a NANNAI Boutique, uma curadoria de marcas de moda nacionais e internacionais. Imagem: Divulgação

O fato de que 85% do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha (Parnamar) sejam formados pelas águas que circundam o arquipélago — e os 15% restantes protejam mais da metade das terras da ilha — impedem a existência de hotéis à beira-mar em Fernando de Noronha.

Mas o NANNAI Noronha Solar dos Ventos está a apenas 400 metros da Praia do Sueste, acessível pelo trecho final da menor rodovia do Brasil, a BR 363, que é parte do Parque Nacional e está aberta para banho todos os dias das 9h às 16h. Lá, os hóspedes podem visitar as ruínas do século 18 do Forte São Joaquim, fazer diferentes trilhas com belas vistas e ainda mergulhar com tartarugas marinhas, polvos, lagostas, arraias, pequenos tubarões e uma infinidade de peixes coloridos, que têm o local como área de descanso e alimentação (em algumas partes demarcadas, o uso de coletes flutuadores é obrigatório para evitar danos aos corais). A Praia do Sueste, como todas as praias que fazem parte do Parnamar, ainda tem a vantagem de contar com lanchonete, banheiros e aluguel de equipamentos.

Na baía do Sueste, a baía mais fechada do arquipélago, também fica o único mangue de ilhas oceânicas do Atlântico Sul, com árvores que atingem dez metros de altura. Mas, diante da fragilidade desse ecossistema já impactado pela ação humana, o acesso só é permitido a pesquisadores autorizados.

FAÇA SUA RESERVA

O NANNAI Noronha Solar dos Ventos abre no dia 1 de dezembro, mas as reservas já podem ser feitas, clicando aqui, ou pelo telefone (81) 3552-0101.

LEIA TAMBÉM:

— BLTA: Quando uma associação brasileira de hotéis de luxo tem a sustentabilidade como valor fundamental

— Caros Chefs: No país que mais consome agrotóxicos, se é pra comer comida envenenada, mais vale comer em casa

— Qual a diferença entre o Valpolicella e o amarone della Valpolicella (e por que o segundo é tão mais caro)?

Arte-Banner-Instagram-Divulgacao-10