O Chef Rouge é um dos restaurantes mais agradáveis e elegantes de São Paulo, e um dos últimos bons restaurantes de restaurateurs da cidade (junto talvez com os de Rogério Fasano, depois da decaída recente dos restaurantes do Marcelo Fernandes, do Attimo ao Kinoshita). {Veja todas as nossas fotos ao final da matéria.}

No coração dos Jardins, o restaurante que já completou 25 anos — e abre aos domingos para jantar #amo — conta com três ambientes distintos que entregam experiências totalmente opostas: uma varanda coberta, com duas árvores frondosas decoradas com orquídeas cujas copas ultrapassam a cobertura (onde gosto de almoçar); um salão mais formal, com espelhos, boiseries  e aquela iluminação que deixa tudo e todos mais bonitos (onde prefiro jantar); e ainda um salão-quase-privativo no primeiro andar, com uma grande mesa, perfeito para aqueles almoços e jantares de horas com amigos.

Não só. O serviço é ótimo — a começar pela Candy, a simpática hostess, française, que nos recebe com um “bonjour” ou “bonsoir” na entrada — e os garçons que não gaguejam ao serem perguntados sobre o cardápio, que é agora elaborado junto com a Ducasse Conseil, a empresa de consultoria do segundo chef  mais estrelado do mundo, Alain Ducasse; e está mais fresco e interessante.

Não que eles tenham apagado sua memória. Os clássicos franceses seguem lá: os escargots, a sopa de cebola gratinada, o foie gras com figo, a cavaquinha grelhada, a tarte tatin (impecavelmente montada, segue sendo minha preferida na cidade)… Mas é uma delícia encontrar também pratos leves — na gordura e no sal — e muitas opções vegetarianas como as beterrabas em três texturas, a salada de quinoa com cebola roxa e abóbora, o risotto de cevada com aspargos e cogumelos morilles ou ainda a cocotte  com legumes da estação e purée de abóbora.

A carta de vinhos traz uma ótima seleção, com opções a partir de R$ 120, e inclui bons rótulos das mais tradicionais regiões vinícolas do mundo (pense em Brunello, Vega-Sicília, Bordeauxs, Bourgognes…), sempre acompanhados na carta com as notas da Wine Spectator, de Robert Parker, da Wine Enthusiast.

Outra novidade é a parceria com a Louis Roederer, o que faz com que você tenha disponível vários champagnes da maison, do Brut Premier em diferentes tamanhos (meia-garrafa à Magnum) ao Cristal.

E atenção: ligue um dia antes do seu jantar para o Chef Rouge, encomende uma das tortas doces inteiras e já leve a sua para casa depois do jantar. A tarte tatin sai por R$ 175, a tarte aux fruits, R$ 155, e a cheesecake, R$ 160.

LEIA TAMBÉM:

— Ryo Gastronomia: Um dos melhores restaurantes – não só japoneses – de São Paulo

— Cannolo: O doce fálico e recheado inventado nos haréns que se tornou o símbolo doce da Sicília

— José Ignacio: Um vilarejo minúsculo à beira-mar com hotéis de luxo que você não encontra nem em Montevideo

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-1
A fachada clássica que há 25 anos ocupa esse espaço na Rua Bela Cintra, no coração dos Jardins em São Paulo. Agora, com cardápio atualizado. Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-2
No primeiro salão ao estilo terraço, duas árvores, flores, chão de cerâmica, cadeiras em palha e….

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-3
… A vitrine de sobremesas para já ir pensando no que você vai comer depois do prato principal. No alto, os macarrons feitos na casa; no primeiro vidro, as tartelettes aux fruits e a tarte tatin; embaixo, o cheessecake, as maxi-éclairs para compartilhar e a torta Choco Banane, tradições do Chef Rouge. Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-4
No salão interno, muito conforto e elegância: um convite para longas conversas. Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-5
Com o crescente desaparecimento das toalhas sobre as mesas, encontrar uma mesa bem montada traz uma deliciosa sensação de aconchego. Com flores frescas, então… Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-6
Uma das saladas: quinoa, cebola roxa, abóbora e pecorino; leve e saborosa. Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-7
Entre massas e risotti, camarões grelhados, com pasta Paglia e Fieno e molho de cogumelos Porcini.Comfort food na alma. Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-8
Entre os novos pratos, mais uma excelente opção vegetariana: risotto de cevada, com aspargos e cogumelos Morille. Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-9
Toda a refrescância de uma sobremesa dedicada aos cítricos: laranja e grapefruit em versões au naturel e confit com uma granita de Campari. Imagem: Shoichi Iwashita

le-chef-rouge-restaurante-restaurantes-rua-bela-cintra-jardins-sao-paulo-sp-bistrot-bistro-gastronomia-francesa-alain-ducasse-conseil-1200-10
E a imbatível tarte tatin, uma das mais tradicionais finalizações para uma excelente refeição. Imagem: Shoichi Iwashita

Arte-Banner-Instagram-Divulgacao-10