• CONTINENTE

  • REGIÃO | ESTADO

  • PAÍS

  • ESTILO

  • ÉPOCA

  • CIDADE

  • BAIRRO

  • CARACTERÍSTICAS

  • NÍVEL DE PREÇO

Destinos gastronômicos

Borgonha: Por que se coloca fogo nos vinhedos que produzem os vinhos mais caros do mundo?

As imagens recentes de extensas áreas com pontos de fogo {veja na foto ao fim da matéria} nas parcelas dos vinhedos premiers e grands crus da Côte d’Or, departamento onde ficam duas das seis regiões viníferas da região da Bourgogne-Franche-Comté, a Côte de Nuits e a Côte de Beaune, e que produzem alguns dos vinhos mais caros do mundo, causam espanto e aflição em um primeiro momento. Mas essas milhares de fogueiras são planejadas por uma boa causa. As mudanças climáticas têm feito com que a Borgonha venha tendo colheitas cada...


Cruzeiros fluviais: Quando o foco não é só o navio, mas também os destinos #publi

Água é vida. Do Cairo a Paris, passando por Manaus, Viena e Moscou, grande parte das cidades milenares do mundo nasceu à beira dos rios. E muitos desses rios vão muito além das fronteiras políticas: além do Reno (cuja nascente está na Suíça, mas desemboca no Mar do Norte, na Holanda) e o Mekong (que começa no Vietnã, passa pelo Camboja e o Laos até chegar à China), o Danúbio, ao longo dos seus quase três mil quilômetros de extensão, cruza dez países na Europa, incluindo mais de 70 cidades e quatro capitais nacionais (Viena,...


Vinícola Guaspari: Visitando, em São Paulo!, um dos melhores vinhos do Brasil, reconhecidos internacionalmente

Da mesma maneira que um dia me surpreendi quando conheci o café baiano de Piatã, considerado há anos o melhor do Brasil, foi um choque depois de algumas taças me dar conta de que um dos melhores vinhos brasileiros — brancos e tintos — é um vinho paulista cujos vinhedos estão a duas horas de carro da cidade de São Paulo (!), na Serra da Mantiqueira, região conhecida pela produção de café desde o século 19. Por isso, hoje é dia de superar o seu preconceito com os vinhos brasileiros; e hora de passar por cima do seu...


Três restaurantes biô em Paris – aqui, sinônimo de saudável, orgânico e sexy – para frequentar

A oferta não é tão grande quanto em San Francisco ou Berlim, mas Paris, uma das capitais da gastronomia do mundo onde a tradição impera, aderiu à onda que, em francês, eles chamam de “biô” (em francês não se usa o circunflexo; é só para mostrar como eles falam :-): produtos — não só alimentos, mas também tecidos, cosméticos e produtos de limpeza — cujo processo de produção é natural, sem pesticidas, hormônios ou fertilizantes artificiais (ou seja, sem os chamados produits chimiques de synthèse, químicas...


A rota do champagne

Além do fascínio que o champagne exerce sobre o mundo, essa bebida cheia de contradições que é a quintessência dos sentidos tem uma história tão fascinante quanto a da região onde nasceu. Região essa que deu o nome a esse vinho branco espumante indispensável em momentos especiais. Reims, Hautvillers e Épernay está a uma horinha de Paris, o que torna obrigatória uma peregrinação etílica e histórica, pelo menos uma vez na vida, pelas grandes maisons  produtoras da bebida, e pela história da realeza francesa. HISTÓRIA E...


Hautvillers, o berço do champagne

Apesar de exercer um papel importante na indústria do champagne, Reims é uma cidade maior, com sistema de transporte público, bons hotéis, restaurantes, vida noturna. E, justamente por isso, escapar para Hautvillers, onde nasceu o champagne, e Épernay é tão especial. No alto de uma colina (coteau, em francês) no vale do Marne (onde é plantada a cépage pinot meunier, que junto com a chardonnay  e a pinot noir  formam a tríade de uvas que compõem o champagne ), Hautvillers, que quer dizer "cidade alta", fica no caminho entre...


Épernay

Assim como Reims, Épernay (que está a dez minutos de carro de Hautvillers) está cheia de crayères. São mais de 100 quilômetros de caves subterrâneas nesta elegante cidadezinha de 24 mil habitantes que é a sede das grandes maisons de champagne Pol Roger, Perrier-Jouët, Moët & Chandon, entre outras produtoras menores. (E eu adoro a maneira como os cidadãos daqui são chamados: quem nasce em Épernay é “Sparnaciens”.) A Moët & Chandon é a única grande maison  aberta para visitação (super organizada, profissional e...


Reims, cidade dos reis

Apesar de a região Champagne-Ardenne ter como capital a cidadezinha de Châlons-en-Champagne, é em Reims onde tudo acontece e sempre aconteceu. (E é por Reims que você pode começar sua jornada pela região, antes de ir para Hautvillers e Épernay). Foi aqui em Reims que Clovis, rei dos Francos, no Natal de 496, na Basílica de Saint-Remi (linda, must-visit), foi convertido ao catolicismo, tornando-se o primeiro rei cristão - ou seja, não-“bárbaro” - a governar a Gália, que se tornaria a França. Foi aqui na cidade também, na...


WordPress Theme built by Shufflehound. Todos os direitos reservados. © 2018 - Simonde