Claro que você pode encontrar vários títulos da editora Assouline em qualquer boa livraria do mundo (ou pela internet). Mas, caso você queria encontrar absolutamente todos os títulos, sentir um pouco da filosofia que permeia a edição e a criação dos livros, e ainda encontrar edições limitadas – que mais parecem obras de arte, assim como os títulos da Steidl – e produtos criados especialmente para a loja por nomes como Goyard, Olivia Giacobetti e Coach, that’s “the” place.

Situada no coração de Saint-Germain de Près, com uma entradinha bem discreta (muitos passam reto por sua porta), ao lado da Dior e pertinho da igreja, da La Hune, da Louis Vuitton, dos cafés  Deux Magots e de Flore, e praticamente vizinha do elegante salon de thé  e restaurante – para almoço – do La Durée (na esquina da rue Jacob ), na pequena Boutique Assouline você pode encontrar além dos livros sobre moda, design  e estilo de vida (como os ótimos Paris Hotel Stories, French Riviera e Cocktails com receitas de drinks de Amy Sacco, do Bungalow 8), livros-objeto como a luxuosa coleção Veneza (com capa de veludo em diversas cores) ou então o pesado livro da designer Andrée Putman (que vem dentro de uma caixa de ladrilhos pretos e brancos). Malas com livros produzidas especialmente pela Goyard para a Assouline, bolsas de couro com livros concebidos pela Coach, papéis de carta com caveiras e até velas que evocam o “cheiro” das bibliotecas, com aromas de madeira e couro complementam luxuosamente a oferta de produtos relacionados ao universo dos livros. Sem falar na edição de luxe  do Proust Questionnaire, grande, com capa de couro (dá para escolher em diferentes cores), repleto de páginas vazias para preencher, que dá para deixar os amigos responderem como fazíamos com os cadernos de enquete na adolescência. Must-have  total.

Só uma observação: apesar de parecer grande nas fotos, a Assouline é discreta, pequena e charmosa como toda livraria deveria ser.

Paris, outubro de 2007.